Compete à Instituição

Cabe ao Tribunal acompanhar a gestão, fiscalizar e analisar os processos de prestações de contas, atos de admissão de pessoal, aposentadorias e pensões, licitações, contratos e convênios de pelo menos 59 órgãos da administração estadual, a saber: 20 secretarias; 10 autarquias, 09 fundações; 12 sociedades de economia mista; 04 empresas públicas; 15 fundos; 06 órgãos em regime especial; 223 prefeituras municipais; 20 órgãos entre secretarias e outros da administração indireta do município de João Pessoa; 16 órgãos entre secretarias e outros da administração indireta do município de Campina Grande, para citar, apenas, os dois maiores. Para isso dispõe, atualmente, de, apenas, 85 dos 106 auditores de contas públicas que compõem o seu quadro, uma vez que os 21 restantes encontram-se ocupando cargos de diretoria ou de chefia na área administrativa ou prestando assessoria nos gabinetes dos relatores ou na Assessoria Técnica.

A partir de 2000, com a inclusão do TCE no PROMOSAT – Projeto de Modernização e Reestruturação da Administração Tributária / PROMAF – Projeto de Modernização da Administração Financeira, através do Projeto de Modernização do Tribunal de Contas do Estado (PROMETE), o processo de modernização do Tribunal, iniciado em 1994, com a implantação do processo de informatização, teve assegurada sua sistematização, permitindo a concretização do permanente interesse de todos em rever rotinas, ajustar procedimentos, descobrir formas novas e eficientes para fazer melhor velhas coisas, ganhar em velocidade e eficiência, preservando a legalidade e a moralidade públicas.

Por duas vezes, o TCE da Paraíba patrocinou e presidiu o Congresso dos Tribunais de Contas do Brasil (o VIII, em 1975 e, o XXII, 2003).

Todos os esforços do Tribunal, mais recentemente, visam a dar cumprimento aos elevados encargos que lhes são reservados pela Lei de Responsabilidade Fiscal, inaugurando uma nova era na fiscalização e controle externo – deveres/direito que a Constituição Federal lhe outorga -, modificando o momento e a oportunidade do controle, permitindo a tomada de posição e a correção de rumos, aspectos centrais do ideário da LRF.

Nesse sentido preparou-se tecnicamente, com ênfase ao atendimento das normas, para, ao invés de dedicar-se à “autópsia” do orçamento, na fase da prestação de contas anual, passar aos exames de rotina, agindo preventivamente no que diz respeito ao Acompanhamento da Gestão, via edição de Resoluções Normativas.

O acompanhamento da gestão, no exercício, permite ao relator das contas emitir alertas quando da análise dos demonstrativos a eles encaminhados mensalmente e não mais após o término da gestão.

No âmbito da administração estadual, por exemplo, o relator das contas encaminha cópia dos pronunciamentos sobre o Relatório de Gestão Fiscal e o Relatório Resumido da Execução Orçamentária, referentes aos períodos respectivos, às autoridades estaduais, Presidentes de Poderes e órgãos, Governador do Estado, Secretários do Planejamento e das Finanças, nos quais consigna os avanços qualitativos nos relatórios expedidos pelo Governo do Estado e indica os resultados da Gestão Fiscal.


Agenda do Gestor
maio 2017
segunda-feira terça-feira quarta-feira quinta-feira sexta-feira sábado domingo
1 de maio de 2017 2 de maio de 2017 3 de maio de 2017 4 de maio de 2017 5 de maio de 2017 6 de maio de 2017 7 de maio de 2017
8 de maio de 2017 9 de maio de 2017 10 de maio de 2017 11 de maio de 2017 12 de maio de 2017 13 de maio de 2017 14 de maio de 2017
15 de maio de 2017 16 de maio de 2017 17 de maio de 2017 18 de maio de 2017 19 de maio de 2017 20 de maio de 2017 21 de maio de 2017
22 de maio de 2017 23 de maio de 2017 24 de maio de 2017 25 de maio de 2017 26 de maio de 2017 27 de maio de 2017 28 de maio de 2017
29 de maio de 2017 30 de maio de 2017 31 de maio de 2017 1 de junho de 2017 2 de junho de 2017 3 de junho de 2017 4 de junho de 2017