Gestores de Esperança alegam que Acompanhamento da Gestão ajuda na melhoria dos processos de contas

“Este é um ótimo caminho que o Tribunal de Contas da Paraíba pioneiramente adota. Não existe no Brasil a cultura preventiva perante o gestor público. Na verdade, ninguém se prepara exclusivamente para gerir a coisa pública”.  As declarações são do prefeito municipal de Esperança, Nobson Pedro de Almeida, conhecido por “Nobinho”, ao receber uma das equipes de auditoria do TCE-PB, em visita de inspeção in loco ao município. Para ele, os gestores têm origem em outras áreas e a necessidade de orientação é muito grande, “principalmente num país de tantas leis como o nosso”.

A prefeitura de Esperança recebe esta semana a visita de dois auditores do Tribunal de Contas, Ronaldo do Amaral Modesto e Rafael Moraes de Lima, sendo que o primeiro está concluindo informações referentes aos processos de contas dos exercícios de 2015 e 2016. A inspeção começou na quarta-feira (22). Os auditores foram acompanhados pelo contador Wellington Galdino. Eles fizeram visitas ao Centro Administrativo, depósito de lixo, creches e escolas do município e unidades de saúde.

O trabalho de campo realizado pelo Tribunal de Contas faz parte do Sistema de Acompanhamento da Gestão em tempo real e tem por finalidade verificar a documentação comprobatória dos documentos eletrônicos encaminhados à Auditoria da Corte de Contas e que provocaram “alertas”. O setor técnico do Tribunal adverte para a correção das falhas detectadas em procedimentos administrativos, providências que poderão ser evitadas no relatório final sobre as contas do município.

O procurador geral do município, Arthur Richardisson lembra que as orientações recebidas do Tribunal de Contas têm contribuído para que cada integrante da administração perceba a dimensão da sua responsabilidade. Já o secretário de Finanças de Esperança, Clodoaldo Álvaro Pereira, disse que a sistemática de acompanhamento ajuda os gestores a fazer a coisa certa e melhora a elaboração dos relatórios.

O secretário de Educação do município, Michael Lopes da Silva, considera, por sua vez, que o acompanhamento em tempo real, em face do caráter pedagógico de suas inspeções. “Trouxe mais segurança para os gestores”, O secretário Michael não escondeu a satisfação pela coincidência da sistemática do TCE estar em curso, exatamente no ano em que exerce pela primeira vez a função de gestor público como titular da pasta da Educação.

 

Ascom/TCE-PB

23/ 11/ 17

Compartilhe: