TCE aprova voto de pesar pelo falecimento do arcebispo Dom José Maria Pires

O Tribunal de Contas da Paraíba aprovou, à unanimidade, em sessão plenária desta quarta-feira (30), voto de pesar pelo falecimento, aos 98 anos, do arcebispo emérito da Paraíba, Dom José Maria Pires. Ele morreu no último domingo (27), em decorrência de complicações causadas por uma pneumonia, enquanto estava internado num hospital de Belo Horizonte (MG).

O presidente do TCE-PB, conselheiro André Carlo Torres Pontes, autor da propositura, destacou na sessão o legado do líder religioso em seus 60 anos como bispo, principalmente por atuação em defesa dos mais pobres e mais humildes nos quase 30 anos (1966 a 1995) em que esteve à frente da Arquidiocese paraibana.

O conselheiro lembrou que Dom José, nascido em 1919 no pequeno município mineiro de Dois Córregos, foi também presidente da Comissão Episcopal do Nordeste II, que inclui os estados do Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e Alagoas.

E citou trecho do livro “Do centro para a margem”, de modo a expressar o grau de compromisso do arcebispo com os mais necessitados: “Nunca como hoje o fraco correu tanto o risco de ser esmagado pela máquina, pela técnica, pelo poder econômico. Nunca foi tão grande a distância entre um pequeno mundo de poderosos e a multidão imensa dos fracos. É sobre essa situação que vamos refletir”.

EVALDO SABINO – Na mesma sessão, o Pleno do TCE também aprovou voto de pesar, proposto pelo conselheiro Arthur Cunha Lima, pelo falecimento de Evaldo de Andrade Sabino, ex-presidente do time do Treze. Também conhecido como Vadico, ele faleceu na última segunda-feira  (28), em João Pessoa, vítima de infarto fulminante. O empresário, de 62 anos, presidiu o “Galo” em 1992, quando a equipe foi campeã estadual. Atualmente, fazia parte da diretoria.

O Tribunal aprovou ainda voto de pesar pela morte, aos 75 anos, de Claudino César Freire, ex-prefeito de Gurinhém, por dois mandatos. Ele deixa viúva a Sra. Eliane Freire.

 

ASCOM TCE-PB

30/08/2917

 

Compartilhe: