TCE-PB dispõe dados técnicos e ferramentas de controle ao Hackfest para estimular o exercício da cidadania

O Hackfest 2017, uma das mais importantes maratonas de programação do Brasil e que se inicia nesta sexta-feira (9), em João Pessoa, contará por três dias com o suporte de ferramentas desenvolvidas pelo Tribunal de Contas da Paraíba para controle e fiscalização dos recursos públicos. E vai dispor, também, do rico acervo de dados técnicos do Tribunal.

O presidente da Corte, conselheiro André Carlo Torres, em razão dessa parceria, participa às 15 h:30, da abertura do Hackfest 2017, que vai até o domingo (11), no Espaço Cultural José Lins do Rego. Esta etapa de três dias ( 9 a 11) destina-se aos eventos de fomento à cidadania e ao desenvolvimento dos softwares para auxiliar na fiscalização das verbas públicas, contribuindo assim com maior combate à corrupção.

O TCE-PB é, nesta terceira edição, uma das instituições promotoras, ao lado Controladoria Geral da União, do Ministério Público da Paraíba, da Universidade Federal de Campina Grande, entre outras.

TECNOLOGIA E GESTÃO – “O objetivo da nossa participação é estimular o exercício da cidadania e, ao mesmo tempo, contribuir com o aperfeiçoamento da gestão pública”,  observa o conselheiro André Carlo ao vê no Hackfest “ uma oportunidade excepcional para se desenvolver e agregar novas ferramentas que possam auxiliar ao enfrentamento da corrupção e a melhoria da gestão pública por meio da tecnologia.”

As ferramentas de controle, a exemplo do Sagres (Sistema de Acompanhamento da Gestão dos Recursos da Sociedade)  e do PAG (Painéis de Acompanhamento de Gestões) , além do banco de dados posto pelo TCE à disposição do evento,  servirão de suporte fundamental para o desenvolvimento das novas ferramentas.

Nesta terceira edição, os realizadores incluíram no evento um conjunto de atividades para atrair e envolver mais a sociedade. São palestras, oficinas, mostras audiovisuais, programação para crianças e jovens empreendedores, e estandes para empresas.

EQUIPES – Durante a maratona, os participantes vão formar equipes visando a produção de softwares para computadores ou dispositivos móveis que possibilitem o controle social visando combater a corrupção ou melhorar a gestão pública.

Os softwares podem ser aplicativos, sistemas web ou jogos, desde que sejam projetados para serem disponibilizados gratuitamente e que tenham o código fonte aberto. Cada equipe deve ter no mínimo quatro integrantes e no máximo oito. Os projetos devem ter o código fonte desenvolvido  durante o evento e não é permitida a participação de um projeto que já tenha sido iniciado antes do HackFest.

OUTRA ETAPA – A segunda etapa acontece no dia 18 de agosto, com a entrega da premiação e a disponibilização dos melhores softwares desenvolvidos. O evento está previsto para acontecer no Centro Cultural Ariano Suassuna, do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba. Vão ser premiadas as dez equipes finalistas, sendo três equipes com medalhas de ouro, três com medalhas de prata e quatro com medalhas de bronze.

PROGRAMAÇÃO – A palestra de abertura do Hackfest 2017 será ministrada pela escritora e consultora Martha Gabriel, pós-graduada em marketing (ESPM) e design (Belas Artes), e mestre e PhD em artes (ECA/USP).

Também professora de MBA, a palestrante é especialista nas áreas marketing digital, inovação e educação, temas que já abordou em mais de 70 exposições, seminários e conferências no Brasil, Estados Unidos, Europa e Ásia. Autora de cinco livros, inclusive o best seller ‘Marketing na Era Digital’, Martha Gabriel foi finalista do ‘Prêmio Jabuti 2014’, com ‘Educ@r: a (r)evolução digital na educação’.

Outro destaque na programação de palestras é Silvio Meira, paraibano de Taperoá e atualmente presidente do conselho gestor do Porto Digital Parque Tecnológico, do qual foi fundador no Recife (PE). Graduado em Engenharia Eletrônica pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica, é mestre em Ciências da Computação pela Universidade Federal de Pernambuco e doutor em Ciência da Computação – University of Kent at Canterbury (1985). É PROFESSOR EMÉRITO do Centro de Informática da Universidade Federal de Pernambuco e Professor Associado da Escola de Direito RIO da FGV.

Por dois anos, 2012-2013, foi Fellow do Berkman Center da Harvard University, onde também foi Faculty Associate até 2015. Seus temas de interesse são ciclo de vida da informação, máquinas sociais, sistemas de informação, software livre, redes sociais, engenharia de software, criatividade, inovação e empreendedorismo. Sua palestra será neste sábado, das 8 às 12 h, no painel sobre ‘Tecnologia da Informação à Serviço da Cidadania’.

Dia 9 de junho (sexta-feira)

  # das 15h30 às 17h (Teatro Paulo Pontes): abertura oficial e palestra com Martha Gabriel;
# das 19h às 23h (“Nave”): brainstorming, formação de equipes e apresentação das ideias;
Dia 10 de junho (sábado)
# das 8h às 12h (Teatro Paulo Pontes): Painel 1 – ‘Tecnologia da Informação à Serviço da Cidadania’ – Palestrantes: Irio Musskopf, Sílvio Meira, Stephan Garcia e Wesley Vaz;
# das 8h às 12h (Sala 1): Oficina 1 – ‘Crimes digitais, cyberbulying e o uso seguro da internet – Facilitador: Rodrigo Nejm;
# das 8h às 12h (Sala 2): Oficina 2 – ‘Corrupção nas licitações pública’ – Facilitadores: Franklin Brasil, Felipe Leitão Roquete e Bruno Garcia;
# das 8h às 12h (Sala 3): Oficina 3 – ‘Tratamento de denúncias do cidadão’ – Facilitadora: Débora Queiroz Afonso;
# das 14h às 17h30 (Teatro Paulo Pontes): Painel 2 – ‘O Direito na Gestão Pública e no Combate à Corrupção’ – Palestrantes: Affonso Guizzo Neto, Carlos Ragazzo, Júlio Marcelo e Roberto Livianu;
# das 14h às 17h30 (Sala 1): Oficina 4 – ‘Lei de Acesso à Informação: como usar, como implementar’’ – Facilitador: Abelardo Lopes;
# das 14h às 17h30 (Sala 2): Oficina 5 – ‘Integridade empresarial’ – Facilitadores: João Peixoto Neto e Luana Almeida;
# das 14h às 17h30 (Sala 3): Oficina 6 – ‘Cidadania e controle social: como transformar a realidade em nossas cidades’ – Facilitadores: Caio Henrique, Henrique França, Karine Oliveira, Maria Júlia Wotzik e Sérgio Aires;
# das 18h às 19h30 (Cine Bangüê): Filme: ‘Quanto Vale ou é Por quilo?’;
# das 19h às 21h30 (Teatro Paulo Pontes): Painel 3 – ‘Transparência Pública’ – Palestrantes: Gil Castelo Branco, Nicole Verillo, Marlon Reis e Fábio George Cruz da Nóbrega;
Dia 11 de junho (domingo)
# das 9h30 às 12h (Sala 1): Oficina 7 – ‘Transparência pública e controle da corrupção’ – Facilitadores: Andréa Nunes, Gustavo Rabay e Fabiano Emídio;
# das 9h30 às 12h (Sala 2): Oficina 8 – ‘Metodologia hackfest’;
# das 16h às 17h30 (Cine Bangüê): Filme: ‘Quanto Vale ou é Por quilo?’;
# às 20h (“Nave”): encerramento e divulgação das equipes classificadas.
Ascom/PB

09/06/2017

 

Compartilhe: