TCE aprova votos de pesar pelas mortes do professor Flávio Colaço e de familiares de servidores da Corte

Autor- Pedro Luiz Bazante

Em sessão plenária desta quarta-feira (19), o Tribunal de Contas da Paraíba aprovou, à unanimidade, voto de pesar pelo falecimento, aos 88 anos, do professor Flávio Colaço Chaves, ocorrido na última segunda-feira (17), em João Pessoa.

Autor da propositura, o conselheiro presidente André Carlo Torres Pontes destacou, na ocasião, qualidades pessoais de homem simples e solidário  e a trajetória acadêmica do professor Colaço, que foi um dos fundadores do antigo IPÊ, hoje Unipê -Centro Universitário de João Pessoa.

O conselheiro citou a contribuição do professor também à Universidade Federal da Paraíba, onde se formou em Direito, lecionou no Centro de Ciências Jurídicas e foi ainda vice-reitor.

“Com sua simplicidade, sua generosidade, sua solidariedade e sua postura cidadã, é um daqueles homens que deixam um exemplo de vida a ser seguido pelas novas gerações”, observou o conselheiro André Carlo.  Em seguida, o conselheiro Arnóbio Viana fez questão de registrar a honra de haver sido aluno do professor Flávio Colaço.

PERFIL – Natural de Pedra Lavrada (PB), Flávio Colaço Chaves era padre afastado do sacerdócio e dedicava-se também,  além de suas atividades acadêmicas universitárias, a prestar serviços a instituições de ensino que trabalham com crianças carentes.

Licenciado em Filosofia pela Universidade Católica de Pernambuco e em Teologia pela Universidade Gregoriana de Roma, se formou ainda bacharel em Direito Canônico e em Direito pela Universidade Federal da Paraíba. E foi membro da Academia Paraibana de Letras Jurídicas.

VOTO DE PESAR- FAMILIARES DE SERVIDORES – O TCE também aprovou, na mesma sessão, mais dois outros votos de pesar pelo falecimento de familiares de servidores da Corte. Um por Deolinda Araújo Neta, 74 anos, mãe das servidoras Ana Lúcia Araújo e Maria Sílvia Vasconcellos, falecida no último domingo (16), outro por Evani Maria de Farias (falecida na terça-feira, 11), mãe da servidora Maria de Fátima Araújo, lotada no gabinete do conselheiro Arnóbio Viana, autor da manifestação.

 

Ascom TCE – 19/04 2017

 

Compartilhe: