Evento de valorização profissional tem palestra sobre hábitos e postura no trabalho para servidores do TCE-PB

O Tribunal de Contas da Paraíba promoveu na manhã desta sexta-feira (28), como parte da política de valorização de seu quadro funcional, mais uma série de atividades voltadas à saúde dos servidores, mediante o estímulo à mudança de hábitos, especialmente posturais, e do incentivo permanente à construção de um ambiente de trabalho harmônico e produtivo.

Ao abrir o encontro, instituído internamente mês passado para toda última sexta-feira de cada mês, o presidente do TCE-PB, conselheiro André Carlo Torres, fez questão de destacar o trabalho que a Corte realiza para ofertar, de forma contínua e permanente, boas condições de trabalho na instituição.

E observou que, além disso, esse tipo de reunião abre oportunidade de congraçamento e convivência social, entre outros motivos, pelas homenagens e reconhecimento aos aniversariantes do mês, aos servidores promovidos e àqueles que completam datas simbólicas de atuação no tribunal.

“O país passa por um momento cívico importante, de exercício da cidadania em defesa de direitos trabalhistas e previdenciários”, observou o conselheiro ao frisar a importância do papel das instituições de controle externo, a exemplo dos tribunais de contas, para que a boa aplicação dos recursos públicos assegure conquistas consolidadas e também garanta a valorização permanente do trabalhador.

Nesse sentido, lembrou, é fundamental que a Corte mantenha um quadro de servidores motivado e determinado, o que se observa quando são desenvolvidas, conforme destacou, políticas de valorização que incluam, também, incentivos à adoção de estilo de vida saudável, além de  orientações,com profissionais qualificados, sobre como executar da melhor as funções cotidianas.

PALESTRA – O encontro desta sexta-feira foi marcado pela palestra “A Saúde Laboral e as Mudanças de Hábitos Corporais e Posturais”,  ministrada pela fisioterapeuta e professora Maria Cláudia Gatto-Cardia, especialista em Saúde do Trabalhador pela Universidade Federal da Paraíba, mestre em Ciências de Atividade Física e Desportiva pela Universidade de Granada/Espanha e doutora em Ciências da Reabilitação pela USP.

Em sua exposição, ela falou sobre fatores de risco à ocorrência de acidentes de trabalho e ao surgimento das doenças ocupacionais, principalmente LER/DORT (distúrbios ósseo/musculares relacionados ao exercício profissional) e o estresse ocupacional.

Esses fatores têm relação, por exemplo, com posturas adotadas no trabalho, pressão mecânica localizada e invariabilidade de tarefas. No caso do estresse, as origens são de cunho interno (pensamentos, emoções, desejos, ilusões) e externo (ambiente social, situação econômica, ambiente de trabalho e influência cultural e religiosa).

Para a especialista, a melhoria das condições de vida e de saúde tem impacto direto na produtividade no trabalho. É possível, segundo defendeu, incorporar devagar, uma por vez, as mudanças de hábitos necessárias à uma condição de vida mais saudável. E escolher como aliados, para alcançar esse objetivo, atividades encontradas na Yoga, na dança e biodança, em Tai Chi e Pilates,  na hidroginástica, na academia e nas caminhadas.

Ao encerrar sua exposição, a fisioterapeuta Maria Cláudia orientou os presentes em pequenos exercícios posturais e de relaxamento que cada pode, e deve, fazer diariamente em casa e no trabalho. Ao final, ela recebeu certificado de participação das mãos do conselheiro André Carlo.

 

ASCOM TCE-PB

28/04/2017

 

 

 

Compartilhe: