Ministério Público do Estado diz que banco de dados do TCE-PB foi essencial para realização do Hackfest

opera-_predador_ii-_octavio_paulo_neto_gaeco_pag-pagina_2_cad-caderno_1_francisco_franca_178629

“O Tribunal de Contas do Estado da Paraíba foi essencial para a realização do Hackfest. Sem o TCE não seria possível a realização do evento”, declarou o promotor de Justiça do Ministério Público da Paraíba (MP-PB), Octávio Paulo Neto, em entrevista, na última sexta-feira (07), reconhecendo a importância do Tribunal de Contas da Paraíba para a realização do ‘Hackfest Contra Corrupção’. O evento aconteceu durante o último final de semana em João Pessoa.

Para o promotor Octávio Paulo Neto, o TCE-PB, ao longo do tempo, tem se mostrado inovador em criar o Sistema de Acompanhamento da Gestão dos Recursos da Sociedade (Sagres) e se tornado conhecido nacionalmente como maior banco de dados abertos no Estado da Paraíba.

O evento reuniu 60 estudantes dos cursos de Ciência da Computação e áreas afins, com o objetivo de explorar dados abertos, desvendar códigos e sistemas lógicos, além e desenvolver projetos de aplicativos de controle social. Durante a maratona de programação, eles contaram com o suporte das ferramentas do TCE, a exemplo do Sagres, IDGPB e o GeoPB.

Durante o evento foram formadas equipes que apresentaram propostas de oito aplicativos. A maioria dos escolhidos conta com suporte de dados do TCE-PB. O aplicativo que vai monitorar obras públicas paradas, criado com dados do Sistema de Georreferenciamento de Obras (GeoPB), ferramenta do TCE-PB, foi eleito como o mais criativo na segunda edição do “HackFest Contra Corrupção” .

O GeoPB serve à identificação e acompanhamento, inclusive por fotos de satélites, de obras realizadas, ou em realização, com recursos públicos, em todos os pontos do Estado.

Por solicitação do Ministério Público da Paraíba (MPPB), foram indicados os servidores Matheus de Medeiros Lacerda, Willo Pinheiro e Weverton Lisboa, para representar o Tribunal de contas da Paraíba durante a maratona de conhecimento em banco de dados. Na sexta-feira (7), o chefe da Assessoria Técnica do TCE, Ed Wilson, entregou cópia dos dados do Sagres aos servidores.

O evento foi promovido pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB), em parceria com a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG).

Confira a lista com as equipes e suas propostas

Por que parou?
Estão recolhendo dados referentes a obras públicas – federais, estaduais e municipais – em andamento no estado da Paraíba, observando os valores das licitações, o que está sendo feito, comparando os valores existentes no mercado, mostrando o que parou ou que está lento;

MasterChef
Game em que os estudantes das redes públicas de ensino do estado e dos municípios poderão diariamente fotografar o cardápio da merenda apresentado pela escola e depois fotografar o prato da merenda no momento de consumi-la. A proposta é fazer a comparação e constatar ou não se o que os alunos estão comendo é o mesmo que a escola diz oferecer;

Obra na palma da mão
Esta equipe surgiu com a proposta de fazer um levantamento dos valores gastos em obras públicas nas áreas da saúde e da infraestrutura, comparando se esses valores estão de acordo com o mercado;

Tá estourado!
Estão colhendo dados acerca do patrimônio pessoal dos gestores públicos (governador, prefeitos, vereadores, deputados, senadores etc.) antes e depois de assumirem o poder, informando à população para que acompanhe e faça uma comparação, observando a evolução ou não desse patrimônio;

Laranjal
Identificar nas licitações públicas dos municípios paraibanos, de qualquer natureza, as empresas participantes e seus proprietários, permitindo, com o cruzamento de dados, identificar os indícios de uso de empresas ou pessoas como laranjas, com o objetivo de fraudar ou superfaturar essas licitações;

Plantão médico
Colher dados acerca dos valores pagos e recebidos pelos médicos que realizam atendimento e plantões nos municípios e no governo do estado, se estão sendo cumpridos e se os valores estão dentro da realidade;

Na veia!
Observar as empresas que mais vencem licitações públicas, de qualquer natureza, nos 223 municípios paraibanos, identificando as suas contratações pelos gestores assim que assumem os cargos públicos;

“Entucado”
Verificar em toda a rede pública de ensino do estado e dos municípios da Paraíba o que os diretores de escolas anunciam que foi adquirido e o que realmente existe em sua unidade educacional, como computadores, material esportivo, móveis etc. Ou seja: a escola tem o que foi anunciado ou gasto para ter?

 

Ascom/TCE-PB

(10.10.2016)

Compartilhe: