Tribunal de Contas inscreve em seus anais artigo de Evaldo Gonçalves

O Tribunal de Contas da Paraíba inscreveu em seus anais artigo jornalístico do ex-deputado Evaldo Gonçalves, membro da Academia Paraibana de Letras (APL) e do Instituto Histórico e Geográfico Paraibano (IHGP).

A iniciativa, aprovada por unanimidade na última sessão plenária, deu-se conforme proposta do conselheiro Marcos Costa, coordenador da Escola de Contas Conselheiro Otacílio Silveira (Ecosil), organismo pertencente ao TCE.

“Onde estiver, Ariano Suassuna estará feliz depois de uma caminhada de luz, fazendo seu povo rir com suas peças teatrais e suas aulas-espetáculos, seus valores proclamados, na Paraíba e alhures. É nome consagrado da nossa literatura. O filho ilustre de Taperoá é detentor de fama e reconhecimento”, anota Evaldo no início do texto publicado no Correio da Paraíba.

E prossegue: “Aqui, o Governo o homenageou, dando seu nome a teatro da Capital, enquanto o Tribunal de Contas do Estado, igualmente, construiu um monumental Centro Cultural e o denominou Ariano Suassuna”.

Mais: “Sobre o Centro Cultural do TCE destaco dois fatos excepcionais. Um, a inscrição, no seu pórtico, de autoria do conselheiro Fábio Nogueira, então presidente: Esta é uma obra singular e desafiadora. Tem a firmeza do aço e a brandura de um sonho. Outro: desde sua inauguração que tal Centro vem ensejando eventos culturais da melhor valia para o desenvolvimento da Paraíba”.

Continua Evaldo: “Recentemente, através do Centro dirigido pelo professor Flávio Sátiro, o TCE sob a presidência do conselheiro Arthur Cunha Lima promoveu, com a coordenação do corregedor Fernando Catão, um seminário sobre a crise hídrica no Semiárido da Paraíba, com a presença de técnicos renomados, destacando-se o conselheiro Marcos Costa, dirigente da Escola de Contas, e os professores Paulo Nobre (do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), André Delgado de Sousa e Heber Pimentel”.

E, por fim: “Natural que todos os assuntos foram magnificamente abordados, com destaque para os percalços e conquistas da transposição das águas do Rio São Francisco. Tiveram acesso a tão preciosas achegas os professores e alunos das Universidades Federal, Estadual e da rede particular. Imaginemos o quanto Ariano Suassuna se comoveu com este seminário sobre o Nordeste, lembrando-se de suas tradições populares, seus folguedos, seca e cultura, de que está repleta sua genial obra literária”.

 

 

Ascom/TCE-PB.

 

Compartilhe: