Sinfônica Municipal se apresenta no Centro Cultural do TCE-PB com concerto dedicado ao Dia dos Pais

Centro Cultural Ariano Suassuna

A Orquestra Sinfônica Municipal de João Pessoa celebra o Dia dos Pais com uma bela homenagem ao “pai” do Nacionalismo na música erudita brasileira. Neste sábado (13), no Auditório Celso Furtado do Centro Cultural Ariano Suassuna do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PB), a OSMJP apresenta o terceiro e último concerto da Série Alberto Nepomuceno, um dos grandes compositores brasileiros nas palavras do regente-titular da Sinfônica Municipal, maestro Laércio Diniz.

A apresentação, fruto de uma parceria entre o TCE-PB e a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), através de sua Fundação Cultural (Funjope), está marcada para às 18h e a entrada é gratuita.

Maestro_Laercio_Diniz

Sob a regência de Diniz, a OSMJP irá executar três grandes obras: a ‘Abertura Trágica’, que o alemão Johannes Brahms (1833-1897) compôs em 1880; ‘Concerto para Flauta N.2 em Ré Maior K.314’, de Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791), e ‘Série Brasileira’, de Alberto Nepomuceno (1864-1920) que, assim como ‘Batuque’, apresentada pela Sinfônica no concerto passado, também foi escrita na Alemanha.

“Ele (Nepomuceno) era um germanista (adepto da cultura germânica, muito em voga no século 19) e foi muito influenciado por Brahms, daí termos os dois nesse concerto. Para se ter uma idéia do prestígio dele lá fora, basta dizer que Alberto Nepomuceno foi um dos poucos brasileiros a reger a Filarmônica de Berlim”, comenta Laércio Diniz.

O titular da OSMJP também comenta o caráter inovador do músico cearense, apontado como o pai do Nacionalismo na música erudita brasileira: “Ele foi um dos primeiros compositores a introduzir instrumentos populares na música erudita. Essa obra que iremos tocar, ‘Série Brasileira’, tem o reco-reco, que aparece pela primeira vez na música erudita nacional”, ensina Diniz.

Solista – O concerto deste sábado terá a participação especial do flautista paraibano Vítor Diniz. Ele será o solista da segunda obra da noite, o ‘Concerto para Flauta N.2 em Ré Maior K.314’, movimento escrito por Mozart originalmente em 1777 para um concerto de oboé, retrabalhado para flauta no ano seguinte.

Vítor venceu o Concurso Nelson Freire OSB 2010, atuando como solista da Orquestra Sinfônica Brasileira no Teatro Municipal do Rio de Janeiro. No exterior, coleciona dois prêmios internacionais: Volos International Flute Meeting, na Grécia, em 2007, e o Concurso de Música de Câmera de Aschaffenburg, na Alemanha, em 2012.

Ainda no exterior, Vítor Diniz ostenta passagens por diversas orquestras internacionais, excursionando em países como Alemanha, Áustria, Escócia, França, Grécia, Hungria, Inglaterra, Itália, Polônia e Suíça.

Programa/Serviço

– ‘Abertura Trágica’, de Johannes Brahms

– ‘Concerto para Flauta N.2 em Ré Maior K.314’, Wolfgang Amadeus Mozart

– ‘Série Brasileira’, Alberto Nepomuceno

Serviço:

Orquestra Sinfônica Municipal de João Pessoa (OSMJP)

6º Concerto Oficial da Temporada 2016 – Série Alberto Nepomuceno

Local: Sala Celso Furtado do Centro Cultural Ariano Suassuna

Endereço: Tribunal de Contas do Estado (TCE-PB), rua Prof. Geraldo Von Sohsten, 147, Jaguaribe, João Pessoa

Data/Horário: Sábado (13/8), 18h.

Gratuito

Biografias

Solista O flautista paraibano Vítor Diniz iniciou seus estudos com os professores Luceni Caetano e Gustavo de Paco de Gea e pouco tempo depois já participaria de turnês com orquestras juvenis para a Argentina, Estados Unidos e Portugal. Aos 17 anos mudou-se para a o Alemanha, onde fez sua graduação com os professores Angela Firkins e Jean-Claude Gérard e o mestrado com a professora Renate Greiss-Armin.

Vítor foi laureado do Concurso Nelson Freire OSB 2010, tocando como solista da Orquestra Sinfônica Brasileira no Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Em âmbito internacional foi premiado em 2007 no Volos International Flute Meeting na Grécia e em 2012 no Concurso de Música de Câmera de Aschaffenburg na Alemanha.

Como solista apresentou-se junto à Orquestra Sinfônica da Paraíba sob regência do maestro João Linhares, à Orquestra Sinfônica Jovem dirigido pelo maestro Luiz Carlos Durier e à Orquestra Sinfônica da Universidade Federal da Paraíba sob a batuta do maestro Kayami Satomi estreando o Concertino Nr. 1 para Flauta de Marcelo Rauta.

Enquanto músico orquestral cooperou com orquestras como a Stuttgarter Philharmoniker, Lüneburger Sinfoniker, Heilbronner Sinfoniker, Pforzheimmer Sinfoniker e a Gustav Mahler Orchesterakademie, realizando concertos na Alemanha, Áustria, Escócia, França, Grécia, Hungria, Inglaterra, Itália, Polônia e Suíça.

Vítor foi bolsista da Fundação Vitae (SP), do Rotary Club Bad Oldesloe e da Fundação Yehudi Menuhin – Live Music Now. Aulas com Barthold Kuijken, Davide Formisano e Sir James Galway completam sua formação.

Além de prolífica carreira artística, Vítor é um requisitado pedagogo, ministrando masterclasses de flauta em diferentes universidades brasileiras – UFPB, UFRN, UFBA, UFU, UEMG e UNIRIO. Desde 2015, leciona na Stuttgarter Musikschule (Alemanha). Seus alunos são premiados em diversos concursos.

Maestro O carioca Laércio Diniz começou a sua carreira internacional regendo a Bachiana Chamber Orchestra, no Carnegie Hall, em Nova York. Um ano depois, regeu o pianista David Brubeck, no Lincoln Center. Bolsista do DAAD (Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico, na sigla em Português), Diniz estudou violino na Escola Superior de Música de Colônia (Alemanha), sob a orientação de Ingeborg Scheerer, Saschko Gawriloff e Susanne Rabenschlag, e música de câmara com o quarteto Amadeus. No Brasil, teve como os mestres de regência Roberto Tibiriçá e Isaak Karabchewsky.

Maestro e diretor artístico da Orquestra Filarmônica do Brasil e da orquestra de época Engenho Barroco, Diniz assumiu a regência da orquestra holandesa New Netherlands Orchestra em 2011, com a qual gravou o seu primeiro DVD pelo selo Aureus Records. No mesmo ano, passou a ser patrocinado pela seguradora que denominou o projeto, realizando anualmente dezenas de concertos pelo Brasil e exterior.

Em 2012, gravou na Lituânia o álbum ‘Saudades do Brasil’, com obras de Villa-Lobos e Darius Milhaud, ao lado da Lithuanian National Symphony Orchestra.“Para 2014, agendamos uma turnê com a Camerata Nova Holandano interior daquele país e em Amsterdã”, disse.

Orquestra A Orquestra Sinfônica Municipal de João Pessoa foi criada em novembro de 2013 e teve sua grande estreia junto ao público no 1º Festival Internacional de Música Clássica, em dezembro de 2014. A Sinfônica Municipal incorporou em seu quadro artístico os músicos da antiga Orquestra de Câmara da Cidade de João Pessoa, além de inúmeros outros talentos contratados da região.

 

 

 

Compartilhe: