Sinfônica Municipal homenageia “Clóvis Pereira” em Concerto no Centro Cultural do TCE-PB

Centro Cultural Ariano Suassuna

O Tribunal de Contas da Paraíba abre as portas do Auditório Celso Furtado, no Centro Cultural Ariano Suassuna, neste sábado (14), às 18 horas, para mais um concerto oficial da Orquestra Sinfônica Municipal de João Pessoa. Será o III na programação oficial para a temporada de 2016, da série “Clovis Pereira.” O Concerto presta homenagem ao compositor na passagem dos seus 84 anos de vida.

A programação inicia com a “Abertura Festiva”, composição especial de Clovis Pereira, seguindo com “Clovis Pereira em Lá Maior” – Concertino para violino, orquestra e cordas. Prossegue com Allegro, Moderato-Andantino, Allegro, tendo como solista Clóvis Pereira Filho. Após o intervalo, “Clovis Pereira”, em três peças nordestinas. O Reino da Pedra Verde, Abôio, Galope. No encerramento, “Clovis Pereira”, Lamento da dança brasileira. A regência é do maestro Laércio Sinhorelli Diniz.

“A apresentação resulta de uma parceria vitoriosa entre a Prefeitura de João Pessoa e o Centro Cultural Ariano Suassuna, do Tribunal de Contas do Estado. Ações como estas engrandecem a cultura paraibana e estão dentro das diretrizes traçadas pelo conselheiro Arthur Cunha Lima, presidente do Tribunal de Contas, para que o Centro Cultural seja um elo entre o TCE e a sociedade”, observou o diretor do Centro Cultural Ariano Suassuna, Flávio Sátiro Filho.

Na Carta do Maestro, o regente destaca que o concerto a Orquestra Sinfônica Municipal de João Pessoa homenageia um dos maiores compositores brasileiros vivos, o nordestino Clóvis Pereira, que nesta data, 14 de maio, completa seus 84 anos de idade e que durante sua carreira, além de nos deixar belíssimas obras, foi também o criador de uma nova linguagem musical tipicamente nordestina participando ativamente da criação do Movimento Armorial a convite de Ariano Suassuna, onde compôs as primeiras obras representativas deste movimento apresentadas hoje pelas três peças nordestinas que fazem parte do nosso programa.

O maestro enfatiza que o compositor possui uma grande ligação afetiva pela cidade de João Pessoa, onde ministrou como professor da UFPB por muitos anos. A partir da sua influência, divulgou a Paraíba no exterior, levando o coro desta universidade para tournée pelos Estados Unidos para importantes auditórios como Lincon Center em Nova York e no Kennedt Center em Washington.

E para que a homenagem seja completa e profunda, no programa desta noite teremos também uma atração especial, que é o concertino em La maior do compositor, sendo interpretado pelo seu filho Clóvis Pereira Filho, um dos grandes violinistas brasileiros que além de ser um dos Spallas da Orquestra Sinfônica Brasileira no Rio de Janeiro, desde o inicio deste ano é também Spalla da nossa orquestra

Lembra o primeiro contato da orquestra com Clóvis Pereira esse ano, através da peça Lamento e Dança, que obteve enorme sucesso., o que gerou, por parte da orquestra, um amor à primeira vista, tanto que compositor dedicou à orquestra a peça “Abertura Festiva “ que será atração na abertura do concerto especial.

CLOVIS PEREIRA

Clovis Pereira é filho do clarinetista Luiz Gonzaga Pereira dos Santos, da Banda Musical Nova Entero. Mudou-se para o Recife em 1950, iniciando o estudo de piano no Conservatório Pernambucano de Música. Estudou também na Escola Belas Artes UFPE, complementando a formação com o maestro Guerra Peixe, com quem estudou harmonia, composição e orquestração. Em 1964, ingressou na Orquestra Sinfônica do Recife. No mesmo ano, foi convidado para atuar como professor de Teoria Musical e Harmonia nas Universidades Federais do Rio Grande do Norte e da Paraíba.

Viajou aos Estados Unidos, em 1974, como regente do Coral Universitário da Paraíba, Formou-se pela Berklee College of Music (Boston) em Harmonia Moderna e Orquestração. Representou o Brasil com o Coral Universitário da Paraíba, no Fourth International Choir Festival, em 1974, nos Estados Unidos, apresentando-se no Lincoln Center, em Nova York, e no Kennedy Center, em Washington. Em 1970, participou ativamente da criação do Movimento Armorial. A convite de Ariano Suassuna, compôs as primeiras obras representativas do movimento.

Foi em 1980 que transferiu-se da Universidade Federal da Paraíba, para a UFPE. Assumiu, em 1983, o cargo de Diretor-Superintendente do Conservatório Pernambucano de Música, onde permaneceu por quatro anos. Participou do Music School Administrators, a convite do governo dos Estados Unidos. Em 2000, sob sua regência, a Orquestra Sinfônica do Recife executou seu poema sinfônico Terra Brasilis, composto em homenagem aos 500 anos do descobrimento do Brasil.

SERVIÇO:

III Concerto Oficial da OSMJP

    Série Clóvis Pereira

Local: Centro Cultural Ariano Suassuna

Auditório Celso Furtado

Hora: às 18h

Dia: 14 de Maio de 2016 (sábado)

 

AscomTCE-PB

13/05/2016

 

Compartilhe: