Centro Cultural do TCE-PB sediará Simpósio Nacional de Contabilidade Pública

Centro Cultural Ariano Suassuna

A cidade de João Pessoa (PB) sediará entre os próximos dias 15 a 17 de julho o II Simpósio Nacional de Contabilidade Aplicada ao Setor Público, voltado a professores, estudantes e profissionais ligados à área de gestão pública. O evento será realizado no auditório “Celso Furtado”, do TCE-PB, promovido pelo Conselho Regional de Contabilidade da Paraíba e coordenado pelo professor Ph.D Jorge Lopes.

Estão sendo disponibilizadas 500 inscrições, que podem ser feitas por meio do site www.crcpb.org.br ou pelos números 3044-1329 e 1306, de segunda a sexta-feira.

Segundo o presidente do CRCPB, Glaydson Trajano Farias, o objetivo do encontro é proporcionar aperfeiçoamento e novos conhecimentos convergentes às boas práticas da contabilidade pública na moderna administração brasileira, sobretudo diante da Lei de Responsabilidade Fiscal e das mudanças que vêm ocorrendo no ambiente econômico mundial.

“A busca por uma melhor eficiência e qualidade nos serviços públicos é uma realidade e nesse contexto, eficiência, produtividade e qualidade constituem-se em metas a serem alcançadas por todas as instituições, através de um nível de informação condizente com os objetivos pretendidos”, afirmou.

Fórum de Gestores Públicos

O Simpósio será aberto às 14h30 do dia 15, com um Fórum estadual de Prefeitos e Gestores Públicos, através de uma mesa redonda composta por representantes da FAMUP, CGU, TCE, MP e MPF, além de participações especiais a serem confirmadas dos senadores Aécio Neves e Cássio Cunha Lima, do deputado federal Hugo Mota e do governador Ricardo Coutinho.

O evento constará de palestras sobre temas relevantes e atuais relacionados à contabilidade pública, a exemplo da Lei de Acesso e Transparência na administração pública municipal; Prestação de contas – Foco em controle de estoque; Políticas públicas : Atuação do Ministério Público Federal; Alterações da LRF em decorrência da LC 131/2009.

Além destes, os Impactos da nova contabilidade na gestão pública, por meio da padronização, modernização, controle e transparência serão discorridos pela executiva Sandra Carvalho Campos, sócia diretora da KPMG – Risk Advisory Services, empresa que é referência internacional em sistemas e serviços na área de tecnologia de informática.

Palestrantes

Outros palestrantes serão o assessor da CGU, Gabriel Wright, o auditor do TCU, Jorge Fonseca, o procurador da República na Paraíba, Rodolfo Alves Silva e o auditor de contas públicas do Tribunal de Contas do Estado, Ed Wilson Santana.

As atividades terão início às 18h00, com uma palestra Magna do professor e auditor de contas Públicas do TCE de Pernambuco, João Eudes Bezerra, sobre o tema “Proposta de Aplicação de custos no setor público”, seguida de sessão de autógrafos de livros de sua autoria. Na manhã do dia 16, o Mestre em Ciências Contábeis pela UFRJ Carlos Eduardo Ribeiro discorrerá sobre o Plano de contas aplicado ao setor público. Em seguida, o chefe da Controladoria Geral da União na PB, Fábio Araújo, abordará os Controles internos primários como caminho para eficiência de gestão.

Outros temas

À tarde, será a vez de o Doutorando em Ciências Contábeis pela Universidade de Brasília, Antônio Firmino Neto, proferir palestra acerca das Demonstrações contábeis sob a perspectiva das Ipsa’s e normas brasileiras técnicas aplicadas ao setor público. Após, o especialista em Finanças e Controladoria Arnaldo Duarte Ribeiro enfocará as Fraudes na contabilidade pública e a importância da implantação de uma controladoria municipal.

O terceiro e último dia do evento será aberto com uma palestra do contador, auditor e perito contábil Elinaldo Barbosa sobre A ética contábil e a prática da contabilidade criativa nas ações governamentais. Ainda na parte da manhã, o tema “Entendendo resultados primário e nominal”, será explanado pelo professor Paulo Henrique Feijó. À tarde, as últimas palestras caberão aos professores Diogo Barbosa e Joaquim Osório Liberalquino, respectivamente, sobre “Síntese das alterações na classificação da despesa para aquisições de materiais, softwares e serviços” e “A crise brasileira e a contabilidade pública”.

Compartilhe: