Centro Cultural Ariano Suassuna coloca arte, cultura e conhecimento em aliança com a cidadania

O Centro Cultural, que o Tribunal de Contas da Paraíba entrega aos paraibanos nesta sexta-feira, dia 19, em ato solene agendado para as 16h00, edifica-se com a robustez de uma identidade: Ariano Suassuna. A imperiosa missão que assume é igualmente vigorosa. “Arte, cultura, conhecimento. São os elos que reforçam a ligação da Corte de Contas com a promoção e os interesses da cidadania”, salienta o conselheiro Fábio Nogueira, presidente do TCE-PB, e construtor da obra.  

Um terreno ao lado da sede do Tribunal de Contas, onde havia funcionado um clube, cujo prédio estava parcialmente demolido, chamava a atenção do conselheiro Fábio Nogueira. Nas suas idas e vindas à Corte, além do aspecto feio e sujo, outras questões alimentavam sua preocupação: a segurança e a proliferação de insetos e roedores.

Buscando conhecer a propriedade, o conselheiro Fábio Nogueira descobriu que o terreno, outrora doado a uma associação, havia sido vendido à iniciativa privada. Ao constatar que a venda contrariava aspectos legais, inclusive configurando um desvirtuamento da finalidade, decidiu acionar o Governo do Estado. A desapropriação e posterior doação ao TCE não tardou a se formalizar.

Tudo isso acontecia na gestão do conselheiro Fernando Catão, que seria sucedido pelo conselheiro Fábio Nogueira, a quem delegou a condução do processo, que incluía a concepção do projeto e que feição ganharia aquele novo anexo. No segundo semestre de 2012, foi aberto o procedimento licitatório da obra.

Já determinado a estreitar as relações do Tribunal de Contas com os cidadãos e decidido a estimular o controle social, o conselheiro Fábio Nogueira confessa que lhe ocorreu uma frase atribuída ao filósofo Francês Louis de Bonald: “a cultura forma sábios; a educação, homens”.

Imediatamente pensou em um complexo cultural que pudesse reunir, em um mesmo ambiente, possibilidades de engrandecimento dos cidadãos, que lhes possibilitasse uma convivência harmoniosa e permanente com a cultura, a arte, a educação.

A edificação – O Centro Cultural Ariano Suassuna é composto por um auditório, com 420 lugares, que recebeu o nome de Celso Furtado; um Salão de Exposições, denominado Lynaldo Cavalcanti; a Escola de Contas Otacílio Silveira; e uma biblioteca Otávio de Sá Leitão. Além desses equipamentos, o complexo ainda inclui um edifício garagem, com capacidade para o estacionamento de 170 veículos.

O conselheiro Fábio Nogueira também preservou a preocupação inicial com a segurança da área e dotou o espaço com um Distrito Integrado de Segurança Pública – DISP, que será entregue, totalmente mobiliado, à Secretaria de Estado da Segurança e da Defesa Social. “Além da motivação inicial, com esse gesto, estamos apresentando uma espécie de contrapartida ao Governo do Estado, pela cessão do terreno”, salientou.

Homenagens – junto com o Centro Cultural o TCE-PB rende homenagens. O conselheiro Fábio Nogueira explica as escolhas: “o complexo carregará o nome desse homem de espírito e arte multifacetados, Ariano Suassuna. O que reflete para além do propósito de perpetuação de uma obra, que já se sabe inexterminável: confirma o compromisso de produção do espetáculo permanente e inexpugnável dos valores da cidadania, que ele proclamou em vida”.

Lynaldo Cavalcanti, de acordo com o conselheiro, enxergou desenvolvimento em uma paisagem agreste e aparentemente infértil; “vislumbrou possibilidades, onde havia incertezas; descobriu potencialidades em terrenos pouco explorados”.

Celso Furtado, segundo Fábio Nogueira, é outro paraibano que deixou um inestimável legado: “ele percorreu o mundo, sem jamais se distanciar das suas origens, sem deixar de dirigir um olhar às mazelas sociais do Brasil. Um economista permanentemente empenhado em promover o desenvolvimento econômico do país que, a isso, dedicou a vida inteira”, completou.

Quanto às homenagens a Otacílio Silveira e Otávio Sá Leitão que, respectivamente dão nome à Escola de Contas e à biblioteca, o conselheiro Fábio Nogueira disse: “estes já incorporados à própria história do TCE-PB”.

Programação – está prevista uma vasta programação cultural para a solenidade de inauguração do Centro Cultural Ariano Suassuna, a exemplo de uma apresentação do Ballet Clássico da UEPB, Dança Nordeste e outra do Quarteto Romançal.

Ascom TCE-PB // Ridismar Moraes

Em 17 de dezembro de 2014.

 

Compartilhe: