Focco instala no TCE seu Núcleo de Articulação Institucional

image
“Uma reunião de trabalho” – é como o ouvidor do Tribunal de Contas do Estado, conselheiro André Carlo Torres Pontes, definiu o encontro, na manhã desta sexta-feira (21), para a instalação do Núcleo de Articulação Institucional (NAI), providência que atende à solicitação dos órgãos que integram o Fórum Paraibano de Combate à Corrupção (Focco), sob sua coordenação desde o último dia 10.

Em entrevista, ele considerou “pontual, em razão do momento”, o propósito de apoio do NAI à atuação dos 77 integrantes do Ministério Público que funcionarão como promotores eleitorais, este ano. Fez ver, então, que o NAI não descuidará das questões que, fundamentalmente, inspiraram e justificaram a criação do Focco.

O NAI, instalado em uma das salas do TCE, servirá, segundo ele, à ampliação, fortalecimento e aprimoramento das atividades desenvolvidas por cada integrante do Focco, “evitando sobreposições de atuação e, ainda, reduzindo a burocracia e as distâncias entre eles”. Permitirá, além disso, o compartilhamento de documentos e informações por meio de um banco de dados de uso comum pelos integrantes do Focco.

Aos que ocuparam o Mini-Plenário do TCE para ouvir suas exposições – audiência em grande parte formada por representantes dos órgãos que fazem o Focco – o conselheiro André Carlo Torres Pontes anunciou, como objetivo futuro, “mais um estímulo ao controle social, com o relançamento do Programa Voluntários do Controle Externo (VOCÊ)”.

Idealizado e implantado pelo conselheiro Arnóbio Viana, quando na presidência do TCE, o VOCÊ serviu ao acompanhamento das ações de saúde pública a partir da fiscalização exercida nos Postos de Saúde da Família por voluntários com idade superior aos 60 anos advindos, notadamente, de associações de bairros.

Compartilhe: