Mobilidade urbana é tema de audiência pública no TCE-PB

drarnobio_internadrarnobio_tourinho

Aberta pelo presidente do Tribunal de Contas da Paraíba, conselheiro Fábio Nogueira, a audiência pública sobre a mobilidade urbana em João Pessoa e na região metropolitana da Capital, reuniu diversos segmentos da sociedade envolvidos com a questão: DER; AETC-JP; FUNAD; SEMOB; e, ainda, adeptos do ciclismo como meio de transporte, na tarde de quinta-feira (11), no plenário do TCE.

O evento foi conduzido pelo conselheiro Arnóbio Alves Viana, relator da Auditoria Operacional, instituída pelo pleno do TCE para cuidar da mobilidade urbana nos municípios paraibanos. Há seis meses a AOP está coletando subsídios sobre a questão, detendo-se, mais especificamente, sobre a situação de João Pessoa e região metropolitana.

O conselheiro Arnóbio Viana esclareceu que a Auditoria Operacional faz o monitoramento das ações públicas, com vistas ao cumprimento da Lei 12.587/2012, que visa melhorar a acessibilidade e a mobilidade das pessoas e cargas nos Municípios, além de integrar os diferentes modos de transporte.

A previsão do conselheiro Arnóbio Viana é de que o TCE, através da Auditoria Operacional, apresente um relatório, no final do mês de maio, sobre a situação da mobilidade em João Pessoa e região metropolitana, onde há um agravamento, por exemplo, no trânsito, que compromete a qualidade de vida da população.

A audiência pública, de acordo com o conselheiro, possibilitou a obtenção de um diagnóstico mais consubstanciado e, principalmente, a participação dos cidadãos no debate sobre um tema de absoluto interesse coletivo.

Algumas questões foram tratadas de maneira específica, como a implantação do transporte rápido por ônibus, que é uma das alternativas para a melhoria do sistema de transporte público, pelo presidente da Associação de Empresas de Transportes Coletivos (AETC-JP), Mário Tourinho.

O superintendente da mobilidade urbana de João Pessoa, Nilton Pereira de Andrade, disse que, quando se pensa em mobilidade, devem-se buscar alternativas que levem ao bem estar do cidadão. Segundo ele, é necessário que haja uma mudança de hábito da população para que se chegue a uma solução de problemas como o congestionamento, por exemplo.

Outra participante da audiência pública, Patrícia Cunha, que falou pelos ciclistas, reiterou a necessidade de mudanças de hábito, além de investimentos em infraestrutura e campanhas educativas para o convencimento da população, para massificar o uso da bicicleta como meio de transporte.

Em 11.04.2013
Ascom-TCE-PB / Ridismar Moraes

Compartilhe: