TC mostra a gestores públicos que acabou o tempo das contas em papel

Representantes dos organismos da Administração Indireta do Estado superlotaram, na manhã desta quinta-feira (27), o Plenário Ministro João Agripino, onde receberam instruções sobre o Sistema Eletrônico de Tramitação de Processos (Tramita) de que se utilizarão para acesso ao Portal do Gestor, consulta ao Diário Eletrônico e envio de informações ou documentos ao Tribunal de Contas da Paraíba.

“Acabou o tempo da remessa de papeis e da correção posterior de falhas antes que o Tribunal tivesse tempo para examiná-los. Não há mais papel na nossa relação”, observou o presidente do TCE, conselheiro Fernando Catão, ao cumprimentar a todos.

Ressaltando que “a administração pública já não é mais coisa de amadores”, ele tratou o encontro como uma oportunidade, também, para aproximação entre o TCE e seus jurisdicionados. Mostrou um Tribunal de portas abertas e disposto à boa parceria com os gestores e assegurou que isso será de bom proveito para a sociedade. “Tudo aqui foi pensado há dois anos. Não estamos inventando a roda”, disse.

Não houve modificações de última hora no Portal do Gestor nem no Sistema de Acompanhamento da Gestão dos Recursos da Sociedade (Sagres), ferramenta a serviço da transparência dos gastos públicos desenvolvida e aprimorada pelo Tribunal desde os idos de 2002, na gestão do então presidente Flávio Sátiro.

Desse modo, o encontro para a explicação de todo o sistema decorreu das mudanças na equipe de governo que assumiu seus novos postos no início do ano. Outra reunião com idêntico objetivo ocorrerá, segunda-feira (31), no mesmo local e horário, desta vez, porém, com os secretários de Estado.

Depois de ouvirem o conselheiro Fernando Catão, os representantes da Administração Indireta foram apresentados ao Portal do Gestor e ao Diário Oficial Eletrônico pelo assessor técnico da Presidência, o auditor Ed Wilson Santana.

Em seguida, eles receberam o credenciamento e senhas individuais para acesso ao sistema que garante o encaminhamento seguro e imediato de documentos, demonstrativos contábeis e balancetes ao Tribunal que, por sua vez, disporá de meios para o julgamento mais célere das contas públicas.

 

Compartilhe: