Mantido débito de R$ 230 mil a prefeito

O Tribunal de Contas do Estado manteve, nesta quarta-feira (9), em grau de recurso, a imputação de débito superior a R$ 230 mil quando do julgamento, em agosto de 2007, das contas do então prefeito de São Bento, Márcio Roberto da Silva, referentes ao exercício de 2004. Ele, que teve essas contas reprovadas, respondeu por fraude na emissão de cheques supostamente destinados a credores do município.

Despesas não licitadas e a utilização de recursos em ações administrativas alheias à natureza do Fundo de Desenvolvimento e Valorização do Magistério contribuíram para a desaprovação, por maioria de votos, das contas de 2006 apresentadas pelo prefeito de Gurjão José Carlos Vidal. O TCE decidiu, majoritariamente, que ele deve repor ao Fundef, com recursos da própria Prefeitura, a importância de R$ 6.776,92.

O prefeito de Juripiranga Antonio Maroja Guedes Filho também teve as contas de 2006 desaprovadas pelo Tribunal, na sessão plenária desta quarta-feira. Contribuiu, para tanto, o não recolhimento de parte das contribuições previdenciárias devidas pela Prefeitura.

Tiveram suas contas aprovadas a Câmara Municipal de Jericó (exercício de 2006) e o Complexo Hospitalar de Doenças Infecto-Contagiosas Clementino Fraga (2005).

Compartilhe: