Descuido com Previdência ajuda a reprovar contas

O Tribunal de Contas do Estado emitiu parecer contrário à aprovação das contas de 2005 apresentadas pelo prefeito de Olho D’água Júlio Lopes Cavalcanti, a quem imputou o débito de R$ 6.100,00 por despesas insuficientemente comprovadas. Ele ainda respondeu pelo não repasse de contribuições à Previdência Social.

O não pagamento de obrigações previdenciárias motivou, igualmente, a reprovação das contas de 2006 apresentadas pela Câmara Municipal de Casserengue.

Na manhã desta quarta-feira (9), o TCE aprovou as contas de 2006 das Câmaras Municipais de Caturité, Barra de Santana e Congo. E, ainda, as das Secretarias de Segurança e Administração (2005), neste último caso, por maioria de votos. O ex-presidente do TCE, conselheiro José Mariz, teve aprovadas as contas de 2005.

Compartilhe: